Decidida no critério de desempate, eleição do MTG vai parar na Justiça, e posse é suspensa

Estadual

A decisão da eleição para a presidência do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), que se encerrou ontem com empate entre as duas chapas concorrentes, foi parar na Justiça. A chapa "De coração pela tradição" liderada por Elenir Winck, que obteve 530 votos, foi declarada vitoriosa por conta do critério de desempate previsto em artigo do movimento, que determina que o grupo com o integrante mais antigo seja declarado vencedor. A concorrente "Fazer agora", que tem à frente Gilda Galeazzi, somou o mesmo número de votos e ingressou com pedido de liminar na Justiça para suspender o efeito da eleição e a posse dos conselheiros, que seria neste domingo. Se a Justiça confirmar a vitória de Elenir, ela será a primeira mulher a assumir a presidência do MTG.
A eleição ocorreu no sábado, em Lajeado, durante o 68º Congresso Tradicionalista. Em uma rede social, Gilda confirmou que a Justiça de Lajeado atendeu o pedido de liminar da chapa. A candidata afirma que pelo regulamento, o candidato mais idoso seria o eleito. "No caso, Gilda Galeazzi. Essa era a nossa interpretação, também. No entanto, a comissão eleitoral entendeu dar a vitória a Elenir Winck, argumentando que um conselheiro de sua chapa tem a idade ainda mais avançada. Como é público e notório, o que estava em jogo nessa eleição eram duas candidatas. Duas mulheres", observa.


Fonte: www. correiodopovo.com.br

Compartilhe